Consulta ao segundo lote já está disponível (Foto: Bruno Carachesti/Arquivo Diário)
Segundo informações da RF, o lote também contempla restituições de 2008 a 2013. (Foto: Bruno Carachesti/Arquivo Diário)
Contemplando 23.894 contribuintes apenas no Pará, o segundo lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) de 2014 estará disponível para consulta a partir das 9h de hoje. Apesar da possibilidade de verificação através da internet, o crédito que totaliza R$46,4 milhões em todo o Estado só estará disponível nas contas dos contribuintes apenas a partir do dia 15 de julho.
Segundo informações da Delegacia da Receita Federal do Brasil em Belém, o contribuinte pode consultar se está incluído neste segundo lote através da página da Receita Federal na internet, ainda que as primeiras liberações atendam, geralmente, a um grupo prioritário. Os primeiros lotes costumam incluir os idosos, que possuem alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave, além de pessoas que entregaram a declaração logo no início do prazo. A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Caso o contribuinte não faça o resgate dentro do prazo, deverá requerê-lo por meio da internet mediante Formulário Eletrônico.
Com previsão de liberações de lotes mensalmente, a perspectiva é de que as pessoas que deixaram para entregar as declarações já no mês de abril tenham que aguardar um pouco mais para serem restituídos. Ao todo, as restituições são divididas em sete lotes, estando prevista a liberação de mais cinco lotes até dezembro deste ano.
Segundo informações repassadas pela Receita Federal no Pará, o lote também contempla restituições do período de 2008 a 2013. Em todo o Brasil, o crédito bancário para 1.122.154 milhão contribuintes totaliza o valor de R$1,8 bilhão. Do total no país, R$ 722 milhões refere-se “ao quantitativo de contribuintes de que trata o Art. 69-A da Lei nº 9.784/99, sendo 417.894 contribuintes idosos e 39.404 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave”.
MALHA FINA
Através da consulta, possibilitada na página da Receita Federal, o contribuinte ainda pode verificar se há inconsistências dos dados enviados através da declaração. Caso haja alguma incoerência, é possível fazer a autorregularização através de uma declaração retificadora.
(Diário do Pará)