Violência no Pará seria bem maior, aponta Sindpol


Quarta-Feira, 03/09/2014, 18:09:22 - Atualizado em 03/09/2014, 18:43:16
Assaltos, homicídios e estupros. A violência no Pará é mais que apenas uma sensação da população, mas uma realidade refletida em diversos estudos sobre criminalidade no Estado, divulgados por diversas entidades, inclusive pelo governo estadual. Entretanto, segundo o Sindicato dos Policiais Civis do Pará (Sindpol), os números oficiais do Estado não são corretos, e a realidade é algo muito pior.
Os dados oficiais do governo do Pará são mascarados, alterados para mostrar a realidade que convém a eles. Na verdade, o número de mortes no Estado é cada vez maior”, afirma Rubens Teixeira, presidente do Sindpol.
Segundo o Balanço das Ocorrências Policiais – Ano 2013, disponibilizado no site da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Segup), o Pará registrou em no ano passado 3.187 homicídios e 150 latrocínios. Porém, segundo o Sindpol, os números corretos são 3.799 homicídios e 187 latrocínios.
“O primeiro problema é que o governo não considera a duplicidade dos casos. Por exemplo, se um homem mata três pessoas dentro de um carro ao mesmo momento, o caso é apontado pela Segup como uma única ocorrência de homicídio, apesar de serem três vítimas”, continuou Rubens. “Dessa forma, o governo esconde a dura e perigosa realidade que vivemos”.
“Os dados que apresentamos são reais, utilizando a base de dados do Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp). É o número bruto, não um valor líquido, diluído, como o governo mostra”, afirmou o presidente do sindicato.
Os dados do Sindpol também divergem dos apresentados pelo governo em relação a anos anteriores, como 2012, em que os números oficiais do governo são 3.051 homicídios e 132 latrocínios, enquanto que o sindicato afirma que foram registradas 3.568 homicídios e 149 latrocínios.
O documento "Mapa da Violência 2014 – Os jovens do Brasil", um dos principais estudos do país sobre o tema, também aponta números diferentes que o apresentado pela secretaria de segurança. Segundo o documento, o Pará teve 3.261 homicídios em 2012, ficando em sexto no ranking dos Estados com maior número de mortes do país.
“A segurança no Pará é um sistema falido, principalmente no interior. Já apontamos isso outras vezes, inclusive na última greve que realizamos, que durou 23 dias. Faltam policiais e condições de trabalho em todo o Estado. Mascarar os números não muda a situação”, concluiu Rubens.
DOL entrou em contato com a Segup sobre as afirmações do Sindpol e aguarda um posicionamento.
(Gustavo Dutra/DOL)
Titulo RP