Doze paraenses são assassinados por dia
Os crimes, em geral, são motivados por “dívidas não pagas” no tráfico de drogas e brigas. Na madrugada do sábado, 1, o usuário de entorpecentes Gabriel Christian Rabelo Ramos foi encontrado morto com vários tiros na Rua das Begônias, em Outeiro. Minutos depois, distante dali, dentro de um bar, na SN 3 da Cidade Nova 4, em Ananindeua, um adolescente de 17 anos levou tiros na cabeça e no braço quando tentava apartar uma briga.
O mês de novembro ainda nem terminou e já foram contabilizados 227 homicídios. Ou seja, no Pará 12,6 pessoas foram assassinadas por dia só nos primeiros 18 dias deste mês.
Segundo o relatório, essa é a maior média de assassinatos em um mês no ano todo, superando o mês de janeiro, quando 381 pessoas foram mortas, dando uma média de 12,29 assassinatos por dia.

O ápice das matanças generalizadas ocorreu na terça-feira, 4, após o homicídio do Cabo Antônio Marco da Silva Figueiredo, mais conhecido como cabo “Pet’’. O militar foi morto a tiros em uma emboscada no bairro do Guamá, em Belém.
Depois disso, nove homicídios foram desencadeados no mesmo dia e seguiram pela madrugada do dia seguinte.
Em Santarém, os crimes também tem sido contabilizado com muita frequências.
Blog do Xarope
Titulo RP