Em um despacho da Justiça do município de Uruará, na região oeste do Pará, dado pelo juiz Michel de Almeida Campelo, na segunda-feira (22) as contas da Prefeitura do Município estão todas bloqueadas, onde o prefeito Everton Banha não tem mais como administrar o dinheiro e sim a Justiça para garantir o pagamento dos servidores públicos.
O magistrado determinou o bloqueio de todas as verbas da prefeitura de Uruará, ou seja, 100% de todos os recursos públicos estão sob o comando da Justiça de Uruará.
Na quinta-feira da semana passada a população se manifestou em frente o Fórum e Prefeitura Municipal de Uruará, exigindo o pagamento dos servidores públicos, a volta às aulas, a limpeza das ruas, melhorias na saúde, entre outras reivindicações.
O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio do promotor de Justiça Muller Marques Siqueira, ajuizou Ação Civil Pública (ACP), com pedido de antecipação de tutela, contra o prefeito de Uruará, Everton Moreira, por fortes indícios de desvios de recursos públicos na gestão exercida.

A medida judicial tomada pelo Ministério Público foi decorrente do Inquérito Civil instaurado para investigar diversas representações formuladas pelo Sinttep, Sinspur e pela vice-prefeita Maris Nicolod. Na Ação, o Ministério Público pediu a cassação do mandato do Prefeito por improbabilidade administrativa, inelegibilidade por 08 anos, bloqueio das contas da Prefeitura e indisponibilidade dos bens do Prefeito. A decisão da Justiça de Uruará cabe recurso.

APÓS DECISÃO DA JUSTIÇA POPULAÇÃO FAZ MANIFESTO POSITIVO EM FRENTE AO FÓRUM DA COMARCA DE URUARÁ