Igarapé-Miri – Wikipédia, a enciclopédia livre
APURAÇÃO

Polícia investiga ex-prefeito de Igarapé-Miri e traficante por associação criminosa

 segunda-feira, 04/05/2020, 18:09 - Atualizado em 04/05/2020, 18:10 -  Autor: Redação
Neste final de semana, a Polícia Civil abriu investigação, a partir de notícias veiculadas nas mídias sociais, materializada na criação de dois grupos de WhatsApp, denominados “IGARAPÉ-MIRI PEDE SOCORRO” e “GRUPO 2 PROTESTO MIRI”, cada um contendo 253 integrantes, no total de 506 pessoas.
 O idealizador do movimento é o grupo político opositor, chefiado pelo ex-prefeito Antoniel Miranda Santos, condenado à perda do mandato, pela Câmara Municipal, em julho de 2019, em processo de Infração Político Administrativa.
Também compõe o grupo os vereadores João do Carmo, José Maria Costeira, Valdir Júnior e Ney Gilberto Pantoja, todos respondendo por improbidade administrativa por desvio de recursos públicos da Câmara Municipal, no caso da farra das diárias, e a advogada Anne Veloso,
Segundo Ação Civil Pública ajuizada pelo Município de Igarapé-Miri, todos vem atuando através de pessoa interposta, Ivan Paulo Melo Miranda, que responde pelo crime de tráfico de drogas (Ação Penal nº. 0005734-06.2017.8.14.0022), e que atualmente está em liberdade provisória. 
Para a Polícia Civil, Ivan Paulo é o responsável pelo comando das tratativas para a realização da manifestação, fomentado e financiado pelo grupo político.
LEIA MAIS NO →→→ CLIC aqui!