Índio Kaiapó Paulinho Payakan — Foto: Shirley Penaforte/O Liberal
Uma das principais lideranças indígenas do país, o cacique Paulinho Paiakan, da etnia Kayapó, morreu por coronavírus nesta quarta-feira (17), em Belém.
De acordo com o senador Paulo Rocha (PT-PA), o líder indígena havia sido socorrido nesta semana e levado para a UTI de um hospital na capital depois de passar mal por conta da doença.
Paulinho Paiakan, grande liderança do movimento indígena brasileiro, partiu. Estava com Covid-19. Sentirei saudades de seu olhar doce e gentil. Meus mais profundos sentimentos ao povo Kayapó e a querida e amável família Paiakan.
Paiakan teve grande protagonismo na luta indígena do país, em especial na década de 1980. Ao lado do cacique Raoni Metuktire, o indígena realizou diversos protestos contra o avanço da hidrelétrica de Belo Monte naquele período. Ainda, foi uma das principais lideranças do Encontro dos Povos Indígenas do Xingu, em 1989.
O cacique foi condenado em 1998 pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Pará, por unanimidade, a seis anos de prisão por ter estuprado, em 1992, a estudante Sílvia Letícia Ferreira.
Irekrã, esposa de Paiakan, acusada de ter agredido Letícia para facilitar a ação do marido, também foi condenada a quatro anos de detenção em regime semiaberto.

O Liberal