FISCALIZAÇÃO

Força Estadual fecha garimpos clandestinos no Pará 

 segunda-feira, 22/06/2020, 12:43 - Atualizado em 22/06/2020, 12:44 -  Autor: Agência Pará
Quatro pessoas foram detidas. Armamentos, munições e equipamentos também foram apreendidos.
Após percorreram, durante 24 horas, 634 quilômetros de estradas e ramais de difícil acesso na zona rural do município de Itaituba, as equipes da Força Estadual de Combate ao Desmatamento Ilegal fecharam dois garimpos clandestinos, apreenderam uma retroescavadeira, armamentos, munições e três motosserras, além de motores utilizados na lavra de minério. A ação, que começou no domingo (21) e foi concluída na manhã desta terça-feira (22), faz parte da operação 'Amazônia Viva'. Quatro pessoas também foram detidas e encaminhadas a delegacia.

No primeiro garimpo foram encontrados e apreendidos duas motosserras, um revólver calibre 38 acompanhado de 05 munições do mesmo calibre, uma espingarda calibre 16 e 03 munições do mesmo calibre. Nenhum objeto tinha documentação que comprovasse a posse.
"Durante as buscas atrás do responsável pelo garimpo, nós percebemos a presença de um veículo que evadiu-se em direção à área de mata. Diante da postura, seguimos o carro até um barraco, onde foi encontrada uma espingarda calibre 20 e uma motosserra", informou o fiscal da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Everton Dias.
No segundo ponto de garimpo ilegal, foram apreendidas duas espingardas, sendo uma de calibre 20 (com 10 munições) e uma calibre 28 (com 03 munições). Com esta ação, sobe para três o número de garimpos fechados que exploravam ouro clandestinamente na região de Itaituba, em áreas próximas a Unidade de Conservação Floresta Nacional do Crepori.
Armas, munições e equipamentos foram apreendidos.
Amazônia Viva
A operação 'Amazônia Viva' foi deflagrada neste mês, simultaneamente, em quatro pontos do estado. O objetivo é coibir a retirada ilegal da floresta em 10 municípios com taxas elevadas de desmatamento. São eles: Uruará, Medicilândia, Brasil Novo, Placas, Itaituba, Trairão, Novo Progresso, Castelo dos Sonhos, São Félix do Xingu e Altamira.
"Nós distribuímos as equipes de forma simultânea em quatro pontos estratégicos que interligam as localidades que estamos protegendo. A 'Amazônia Viva' foi deflagrada para coibir crimes ambientais, como desmatamento e queimadas nos dez municípios que detém os maiores índices de desmatamento no Pará", explicou o diretor de fiscalização da Semas, Rayrton Carneiro.
Força combate desmatamento em pontos específicos do estado.

"O governo do Estado conseguiu dar amplitude ao trabalho de segurança ambiental. As instituições que têm o mesmo foco conseguem dar celeridade a execução dos nossos serviços. Nós observamos que os municípios com maiores focos acabam tendo uma logística mais complexa para as ações, mas dessa forma, todos conseguimos nos fazer presentes. A Polícia Civil pode instaurar procedimentos policiais, Termos Circunstanciados de Ocorrência e inquéritos para apurar e intensificar o combate aos crimes ambientais", comenta Diretor da Divisão de Meio Ambiente e Proteção Animal da Polícia Civil, Waldir Freire.