BIRIBA - VAI DEIXAR MUITA SAUDADE!
Um poema tosco para aquele que não tinha enrosco

O velho caminhão lotado
Seguia transportando esperanças
Em suas intermináveis andanças
Entre Itaituba a Jacaré,
As vezes cacarecos de separações
Muitas vezes parcerias e ilusões
Transportando esperanças e fé

Tralhas velhas de garimpos,
Com novas e renovadas emoções
Materiais diversos para construções
Seguia Antonio Dias, rumo a Jacaré
Criando a integração na região
Dizia que andar devagar também chegava
Por isso saia sempre às madrugadas.

Ao longe se ouvia a zoada
De um velho Mercedes zunindo
comendo e rompendo atoleiros
com abismos traiçoeiros
... é o Biriba gritava um menino
Forçando... subindo a ladeira,
Em pouco tempo depois surgia
BIRIBA seguro descendo a ladeira

Nosso Biriba tinha um segredo
Pra nunca ficar na estrada
Era prudente ao encarar a natureza
No desenvolvimento de seu trabalho...
Quando se ouvia a zoada de seu possante
Em qualquer situação da sinuosa estrada
Biriba descia a ladeira, reiniciando sua jornada.

Deus te abençoe e de dê caminhos de luz
Grande benfeitor da região
Que de um instrumento de transporte
Integrou nossa imensa região
Deus te acolha no andar de cima
Não faz muita zoada aí não...
Vê se ajeita desta vez a descarga do caminhão.