Itaituba - Nós, seres humanos, somos dotados  de emoções que estão presentes em todos  os instantes da nossa vida.

É assim na infância,  na adolescência, na fase adulta e até na velhice. Não importa a idade ou a situação, os sentimentos sempre  irão nos acompanhar. Eles podem ser positivos ou negativos, previsíveis ou chegar de surpresa. Alguns de nós podem ter dificuldade de expressa-los, enquanto outros tentam escondê-los, o que não aconteceu com a chegada de uma estrela, herança de Deus para uma família, que  receberá o nome histórico de ALÍCIA. Eis o lado bom e positivo da emoção.


Emoção não previsível já que mesmo sendo a primeira filha de um casal de amigos, pelo cotidiano de nossa vida hodierna, recheada de emoções, a grande  família e nesse aspecto em primeiro plano os pais Auricilene e Alexandre na expectativa de receber a primogênita estavam preparadas para receberem os mimos e boas vindas para a filha que já se anunciava, e talvez a emoção não contagiaria a ambos mais do que imaginavam. Ledo engano! ALÍCIA, às 18h45’ no Hospital Cristo Salvador, sob os cuidados médicos do renomado cirurgião Dr. Edyr Pires com sua equipe composta também pela Enfermeira Ananda Cassia (Tia) nasceu para emoção indescritível da família, alegria dos amigos do casal e familiares (tias, avós etc) a herdeira dos bens materiais de Auricilene e Alexandre veio ao mundo causando profundo impacto de comemoração entre os parentes e amigos do casal;  e como diz meu amigo Alexandre (Pai) sua filha veio com bênçãos de Deus para trazer ao mundo paz, amor e esperanças de  dias melhores.


Diante de seus 3 quilos e cem gramas, o pai visivelmente contagiado pela emoção quase não conseguiu segurar a filha, que também era disputada pelas dias Auricelia, Aurilene, Ananda, os avós entre outros amigos em festa.

Meu amigo Alexandre comunica que a mãe  evolui bem do processo cirúrgico, e descreve que junto com a esposa e a Alicia estão vivendo momentos mágicos.

Contrariando um pouco o feliz pai, que ainda vive sob a plenitude  da emoção, alguns Vascaínos amigo do casal que visitaram a pequena Alicia confessam de  forma decidida que a pequena notável com poucos momentos que chegou, balbuciou uma palavra Bas...  basco... não seria VASCO, Alexandre?

______________

Obs. Por problemas relacionados à conexão da Internet, deixou-se de postar a foto da feliz mãe (A conexão em Lacoste é terrível)

ABRAÇÃO PARA TODOS E PARABENS PAI FRESCO!