Imagem RP - Meramente ilustrativa (Alcançada no internet)

 Denunciados por roubo de 15 kg de ouro em Santarém começam a ser ouvidos em audiência de instrução e julgamento dia 15 de dezembro

Kamila Andrade/Portal OESTADONET07/12/2020

O juiz Rômulo Nogueira de Brito recebeu no dia 29 de outubro a denúncia oferecida pelo Ministério Público contra os cinco suspeitos de envolvimento no caso do roubo de 15 kg de ouro em uma empresa, em Santarém. 

 

Quatro  policiais militares e  o  segurança responsável pelo carregamento começam a ser ouvidos em audiência de instrução e julgamento marcada para o dia 15 de dezembro, na 2ª Vara Crimininal da Comarca de Santarém.


Os denunciados são: cabo Márcio Costa, sargento Ivan da Silva Passos, cabo Thaliandreson Junior Pereira Alves, cabo Alessandro Rocha de Souza e o segurança Francinaldo da Silva Passos. Todos presos preventivamente. 


Quatro  denunciados continuam presos em unidades prisionais ou quartéis. No dia 19 de novembro, Francinaldo da Silva Passos passou a cumprir prisão domiciliar com o uso de tornozeleira eletrônica, medida a que teve direito  por ser vítima de tuberculose. 


Conforme a denúncia apresentada pelo promotor de Justiça, Adleer Calderaro Sirotheau, a autoria e a materialidade dos crimes se compravam pelos depoimentos das vítimas e das testemunhas, pela confissão de um dos envolvidos e pela localização de uma barra de ouro. 


Ainda conforme a denúncia do MP, os denunciados realizaram os delitos com a utilização de várias condutas reprováveis. Uso de muitas pessoas para o cometimento do crime, eles planejaram e sabiam sobre o carregamento de ouro, mantiveram as vítimas no poder deles e fizeram uso de arma de fogo. 


Com isso, o MP destacou que a conduta deles se encaixa perfeitamente a dois crimes de roubo por todos os delitos já citados. Eles devem ser processados e condenados pelo crime, incluindo a indenização às vítimas.


“Portanto, a conduta dos denunciados amolda-se perfeitamente a dois crimes de roubo majorados pelo concurso de agentes, por estar vítima em serviço de transporte de valores, pela mantença das vítimas em seu poder e pela a utilização de arma de fogo, dispostos no artigo 57, do código penal brasileiro, perpetrados em concurso formal, nos termos do artigo 70 do CP, uma vez que duas vítimas foram do delito”, diz a denúncia. 


Entenda o caso


O assalto ocorreu no dia 27 de setembro deste ano, na saída do porto do DER, quando a carga de mais de 15 kg de ouro, era transportada por funcionários da própria empresa. O ouro está avaliado em mais de R$ 5 milhões e pertence a uma empresa de compra e venda de ouro.


 De acordo com a polícia, o veículo, que estava com a carga de ouro foi abordado por três pessoas que se identificaram como policiais federais. Eles fizeram a rendição e roubaram o material. 
Ainda segundo a polícia, poucos metros depois a vítima conseguiu abrir a porta e se jogou do carro, correndo em seguida para se refugiar em uma residência.


Dois militares da PM foram presos em flagrantes: Ivan Passos e Márcio Costa, no dia seguinte do roubo. Os outros dois militares ficaram foragidos, mas foram capturados pela polícia. A polícia civil também prendeu Francinaldo Passos, um dos seguranças que atuava no transporte do metal.


A polícia chegou até os envolvidos após a prisão do segurança. Ele delatou a participação de um sargento e três  cabos da PM. Um deles, ao ser preso de posse de uma barra de outro, revelou a participação de mais três militares no assaltO.

_______

Título RP

Imagem RP - Meramente ilustrativa