IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

JACAREACANGA -  Evidentemente que permeando os maus existem os bons, tal qual um saco de laranjas com frutos estragados entre os  bons frutos, a tendência natural é que todos os frutos se estraguem se não ocorrer uma intervenção do dono, fazendo a devida triagem, separando as frutas podres das saudáveis; ocorre a mesma coisa com a sociedade humana, já que o ser humano é produto do meio em que vive. 

A introdução a esta matéria que me propus a fazer irei me ater somente  ao sistema de segurança pública, notadamente da Policia Militar e seu trabalho executado no município de Jacareacanga. Faço isso para que se ache através de nossas autoridades um ponto final, pois poderá ocorrer  complicações mais severas para a sociedade  que vive o anseio da promoção de segurança pública,  que propriamente  para os  promotores da segurança pública que normalmente quando cometem excessos ou outros desvios de finalidades de seus trabalhos, quando alguém tem a coragem de denunciá-los ou normalmente o gestor municipal solicita a retirada do contingente e são  removidos  para outros localidades do estado eis que  tempos depois  para pasmo de muitos munícipes são apresentados os mesmos personagens em novo grupamento no município. Essa é  a ciranda que vive Jacareacanga, que já passou por momentos traumáticos quando ocorreu invasão de indígenas na sede do município  exigindo a retirada de determinado grupo de policiais em tempo pretérito recente, que se desviavam de suas funções de promotores da segurança pública, extorquindo, torturando e fabricando flagrantes. O grave problema com o desserviço prestado à época da invasão à cidade, fez o comercio cerrar suas portas e os moradores se recolherem como se vivêssemos em estado de sitio. O resultado final dessa historia foi que os indígenas revoltados com a onda de disseminação de drogas na cidade, a propalada conivência  policial com  marginais, culminou com o cruel assassinato de um jovem indígena que  fez com que um grupamento de mais de duas centenas de Munduruku invadisse  a cidade colocando todo o contingente policial  em fuga, ato seguido atearam fogo na delegacia de policia  ficando com os despojos dessa guerra composto até de metralhadoras. Tudo isso aos olhos e atenção além de preocupação da cúpula da segurança publica do Pará que nos dias seguintes teve que deslocar de Belém  grande grupamento policial com o Secretario de Segurança Pública  comandando as conversações com os indígenas e que foi celebrado para arrefecer os ânimos um contrato de intenções com varias exigências e entre essas o fortalecimento da Funai para atuar protegendo os direitos indígenas dentro de Jacareacanga e o deslocamento de policiais do grupamento especial de Belém para Jacareacanga pois não desejavam contar mais com policiais procedentes de Itaituba.

Todas as vezes que se altera o humor dos indígenas com relação ao trabalho de segurança pública em Jacareacanga as autoridades da capital se despertam para deslocar a Policia Especializada da PM como GTO/ROCAM para dirigir a proteção de segurança ao cidadão. 

O caso mais recente foi o assassinato em praça publica de um jovem indígena que ganhou repercussão de uma ação radical dos parentes, no after day o GTO/ROCAM entrou em ação e de forma preventiva colocou ordem na situação. Foi prometido na ocasião a permanência do Grupo Especializado até o final do ano porém em meados de outubro os policiais retornaram às suas localidades de origem. Faltou compromisso do Comando da PM.

Recordo e trago à lembrança que os vereadores do município, em todas as legislaturas, os  prefeito de todos os mandatos, já fizeram inúmeras, incontáveis viagens à capital do estado buscando junto aos Governadores através da cúpula da segurança publica coloque pessoas no município comprometidas  com o digno trabalho de um policial, e esse intento ao que parece não tem alcance. 

Como já reportado, existem policiais sérios, pessoas que não podem ser julgadas ou tratadas como maus policiais porém a "esperteza"  ao redor desses, predomina. 

PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES,  e nem estou falando asneiras, caluniando ou difamando  A ou B, ja que teria que ter atestado probatório de minhas informações, coloco  a seguir postagem  veiculada no GRUPO SOCIAL  WhatApp     BOM NEGÓCIO JACARÉ, que nutriu o grupo com fartos comentários, e que mostra indisfarçadamente e corajosamente o tosco caso que envolveu um casal trabalhador, que teve seu suor vulgarizado e desvalorizado por quem não transpira confiança.

Vejam que a  corajosa criatura que faz a denúncia evidencia que MAIS UMA VEZ DESABAFA SUA INDIGNAÇÃO COM A SEGURANÇA PÚBLICA DE JACAREACANGA.



Com a palavra:
-Os policiais para apresentarem o contraditório,  contrariando o  óbvio ululante
-O 15 BTLDE PM pensar o que fazer 
-CPR-X providencias de sua alçada
-COMANDO DA PMPA conhecer e controlar o assunto
-CORREGEDORIA DA PM apurar.

É fato que será de imediato  informado  o que ja se sabe desde agora, -QUE PROVIDÊNCIAS, SÉRIAS E ENÉRGICAS SERÃO TOMADAS URGENTEMENTE, DOA A QUEM DOER!!!

Vitimas desse alcance extorsivo, constam aí nomes do casal trabalhador que não conheço mais segue identificado como Dona Cleonice e Zé Garcia, que ja devem ter recebido visitas de alguns dos envolvidos para negarem a sangria. Isso sempre acontece... 

Que seja investigado outros alcances  como o assedio econômico em cima de um empresário de aviação e garimpo.

OBS. O Rastilho de Pólvora estará às disposição de toda pessoa lesada  para fazer a devida divulgação, e estamos construindo uma ideia para avaliar o trabalho da Policia  (PM e PC) em Jacareacanga através de uma ENQUETE.