Novo pedido de impeachment contra Wilson Lima é protocolado

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÒNICO

Manaus/AM - O Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam) protocolou,
 nesta quarta-feira (16), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), 
novo pedido de impeachment contra o governador Wilson Lima (PSC) por
 irregularidades na gestão da 
Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) durante a pandemia de Covid-19.

O documento conta com informações de órgãos como o Ministério Público Federal (MPF),
Polícia Federal (PF) e da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, que 
comprovariam as irregularidades.

No documento, o sindicato alega, com base nos incisos III e V do artigo 55 da Constituição
 do Estado do Amazonas, que Wilson e o vice-governador Carlos Almeida 
cometeram crime de responsabilidade por investir R$ 1,6 milhão no campeonato de 
futebol promovido pelo grupo A Crítica, o "Peladão", e aplicar R$ 2 milhões em 
decoração natalina em momento de crise instaurado pelo novo coronavírus.

O Simeam também aponta que Lima e Almeida "contrariaram o princípio da eficiência 
(art. 37, caput, CF) e incorreram em crime de responsabilidade, em face da completa 
omissão acerca da fiscalização dos serviços prestados pelo Hospital Delphina Aziz, 
gerando gastos excessivos e serviços mal prestados".

"Nota-se que Wilson Lima e Carlos Almeida acreditam que, para se eximirem
 de qualquer responsabilidade, basta alegar que não 'sabiam de nada'. Porém, a 
responsabilidade dessas autoridades, como vimos, advém justamente da omissão 
dolosa no trato da coisa pública, seja pela falta de fiscalização, seja pelo mau 
emprego do dinheiro público, seja pela morte de milhares de pessoas submetidas 
à respiradores inadequados e superfaturados", diz trecho do pedido.

O pedido ainda não havia chegado à mesa do presidente da Aleam, deputado 
Josué Neto, até o final da manhã desta quarta-feira. As atividades na Casa Legislativa 
encerram amanhã (17), de modo que, caso pretendam julgar o caso, os deputados 
deverão suspender parte do recesso parlamentar ou atribuir a tarefa ao novo 
presidente da Aleam, Roberto Cidade.

Fonte: Portal do Holanda