Peninha acusou a empresa de ser a responsável pelo caos na Rodovia Transamazônica


O vereador Peninha criticou nesta quinta-feira, dia 18, a empresa AMPORT, entidade que agrega as empresas portuárias e acusou a mesma de ser a responsável pelo caos que vem acontecendo na Rodovia Transamazônica, trecho Campo Verde - Miritituba. Peninha disse que desde o funcionamento dos portos as empresas portuárias veem usando a estrada provisória como corredor para o embarque de grãos e a AMPORT tem se preocupado em apenas fazer remendos nesta estrada de 8 kms. No verão a AMPORT contrata carro pipa para molhar duas vezes por dia e no inverno apenas tapa alguns buracos. Nunca se preocupou em preparar esta estrada para ser trafegável no verão e no inverno ou até mesmo asfaltar, disse Peninha.

Ver. Peninha

"Esta estrada provisória, que foi construída pelo senhor Piauí vem há mais de 8 anos servindo aos portos, e as empresas portuárias pouco fizeram para melhorar. Tem ladeiras, que quando chove, as carretas ficam atravessadas, interditando o tráfego. Em outros trechos, há lama e deslizamento, fazendo com que os caminhões muitas das vezes saiam da estrada", alegou Peninha. 

O parlamentar lembra que a comunidade de Miritituba por diversas vezes em reunião com representantes da AMPORT já pediu o asfaltamento desta estrada. "Eu próprio já apresentei na Câmara requerimento solicitando o asfaltamento desta estrada, entretanto, até hoje não foi atendido", disse 


Inclusive, prosseguiu o edil, a AMPORT propalada em Miritituba que ofereceu dinheiro para o município asfaltar, o que não é verdade. Quem tem que asfaltar é a AMPORT, garantiu Peninha, pois recebe mensalidade dos seus associados. Esta entidade AMPORT, antes ATAP, fez um mundo de promessas quando da construção dos portos e pouco cumpriu e agora tenta jogar os caminhoneiros de encontro as autoridades municipais. 


"Hoje, o que estamos vendo, é uma estrada intrafegável, devido as constantes chuvas na região e enormes filas se formando em toda a estrada portuária, nas rodovias Cuiabá Santarém e Transamazônica, trecho de Campo Verde a Miritituba", prosseguiu Peninha. 


"Recebi várias ligações de caminhoneiros, que estão há mais de 10 dias parados, que estão sem local para tomar banho, fazer necessidades e até comer. É lamentável, que esta entidade mantida pelas empresas portuárias não esteja dando o mínimo de atenção a estes profissionais do volante, que vem de longe transportando grãos para exportação. Os caminhoneiros estão abandonados, gastando o que não tem para se manterem. Ficar nos pátios (triagem) por muitos dias vão ter que pagar diária. É delicada a situação dos caminhoneiros", afirmou Peninha. 


Peninha pede providências urgentes, urgentíssimo da AMPORT e do Governo Federal para resolver o problema, pois o caos está implantado na região de Miritituba. "Este caso tem que ser resolvido urgente, para evitar um maior problema social na região", concluiu o Vereador. 

 Fonte: Portal Santarém