APÓS TORMENTA, ASSOCIAÇÃO PUSURU JUNTA OS CACOS E APOSTA NA LUTA PELA  UNIÃO INDISSOLÚVEL DO GRUPO TRIBAL

Associação Pusuru, principal coordenação de trabalho de apoio aos direitos da coletividade dos indigenas da etnia Munduruku, oficia documento aos que empresariaram atividades ilegais de garimpagem em terra indigena (Não-Indígenas)  que ainda possam ocupar as regiões do Jauary, Kabitutu, Rio das Tropas e Mutum para tomarem conhecimento e para fiel cumprimento CONVIDA a todos  os garimpeiros "brancos", madeireiros, barqueiros funcionarios de cantinas, e bares em carater de urgencia deixarem o Territorio Indigena. Insta acrescentar que está em curso a seguinte Operação contra as atividades garimpeiras e de preveção ao desmatamento e não deverá mais acontecer turbação em Territorio Munduruku.

Com essa decisão a Associação Pusuru retoma seu caminho em proteger a totalidade dos parentes indigenas contra tudo que poderá ocasionar maleficios ao povo indigena distribuidos em 157 aldeias esparsos pelas Terras Indigenas Sai Cinza e Mundururku.