O falso Advogado, detido na delegacia  - Vídeo alcançado na internet

JACAREACANGA -  A indústria da imitação parece mesmo   estar tendo vez e espaço no Brasil e por tempo prolongado, tanto são as divulgações e denúncias de imitações de produtos  que surgem e assolam o país e propriamente o consumidor e são colocados  no mercado  para comercialização com dois interesses escusos, o primeiro é se obter lucros por seus  "inventores idealizadores" e o segundo é lesar mesmo  as pessoas incautas. Essa cópia falsa de generos invade todo espaço empresarial do ramo e do consumidor, tambem  até certo ponto a midia, que  noticia alem da imitação de produtos baratos até  a falsificação de titulos profissionais. Vimos recentemente na caçada ao facínora LÁZARO que por sua resistencia bandida estão o transformando em artista global despertando até a  a "Síndrome de Estocolmo" em alguns... e aí surgindo nessa seara a figura do falsário  em que um curioso travestiu-se com indumentaria de Policial Federal para pegar a unha e dentes  o dito cujo, ja que oitocentos policiais (Civis, militares, Federais Força Nacional), hoje ja com 16 dias em fuga, não conseguiram prender, um bandido que se pego vivo ou morto seria a mesma coisa pra sociedade,  e o mesmo continua transitando entre os capões de matos assustando  as redondezas  onde ambientou-se e centenas  e mais centenas de homens com um aparato bélico jamais visto em tempo de paz, helicopteros, drones com visão norturna não conseguem ver nada (Os americanos devem estar cagando de rir de nossa performance para se caçar um criminoso).

Voltando ao que nos propomos a informar, baseado na industria da imitação e chegando  à rapinagem de títulos profissionais, e isso tem muito na medicina odontologia, engenharia, advocacia, entre outras nobres profissões, a coisa aconteceu recentementen no municipio de Jacareacanga onde o funcionário por designação municipal do Poder Executivo DIÓGENES COUTINHO DA SILVA CUNHA, teria o cargo em carater de livre  nomeação do Poder Executivo na chefia no Setor Material e Patrimonio (ASSESSORIA - DAS-3) e que  em suas horas vagas, como falsário,  desempenhava funções de Advogado assessorando juridicamente duas associações municipais e até identificando-se no FORUM, Pasmem! como Advogado. -A prova inequívoca está contida em mensagem trocada com a Secretaria do Poder Judiciário,  onde intitulava-se advogado e queria vistas de um processo que jamais poderia ter, vez que esse viés de trabalho no judiciario é privativo de advogados ou autoridades do judiciario e ainda Ministerio Público  devidamente credenciados.

Como não poderia deixar de ser, providencias juridicas estão sendo tomadas  contra o falsário e considerando a gravidade do caso, as subseções da Ordem dos Advogados do Brasil de Itaituba e Santarém emitiram notas mostrando a nocividade da ação praticada pelo cidadão supramencionado e as providencias que serão adotadas pela Ordem. De outro lado a Prefeitura Municipal deve exonerar o cidadão das funções que ocupa (se ocupa) por razões subentendidas.

Mais interessante dessa historia que burburinhos pela cidade em becos e vielas começaram a desconfiar que o cidadão não seria Advogado e como a informação ganhava corpo foi levada à Policia para averiguação e ao final a constatação.