Os garimpeiros que estão no Rio Madeira, na região de Autazes, no interior do Amazonas, ameaçam revidar a ação de autoridades que tentem removê-los do local. As mensagens foram trocadas em um grupo de garimpeiros ao qual a reportagem teve acesso.

No grupo, os garimpeiros falam que vão ficar de tocaia e dar tiros.

O vice-presidente, Hamilton Mourão, tratou com naturalidade a invasão de balsas no Madeira e disse que todos os anos os garimpeiros procuram o lugar com mais ouro. Ele afirmou que medidas já estão sendo tomadas para verificar o arrastão de ouro no Rio Madeira.

“Polícia Federal e Marinha já estão se preparando para agir, mas o principal ali é a Marinha. A Marinha tem que verificar qual é a questão, quem está ali na legalidade, qual é a embarcação legal, e o pessoal que está na ilegalidade vai ter a embarcação apreendida”, disse.

Os garimpeiros estão descendo o Rio Madeira em busca de ouro há pelo menos quatro meses, como mostram imagens de julho, gravadas pelos próprios garimpeiros em Borba, a 300 quilômetros de Manaus, e postadas em uma rede social.

Na internet, os garimpeiros também postam vídeos para mostrar como as dragas funcionam. Elas utilizam longas mangueiras, que são lançadas até o leito do rio.Geradores fazem com que elas suguem a terra e tudo o que encontram no fundo. O material é levado até a balsa e passa por uma esteira, onde é filtrado para seleção do ouro e devolvido à água.

O processo traz grave prejuízos ambientais, pois para separar o ouro da terra, os garimpeiros usam substâncias químicas e metal pesado, inclusive mercúrio.

Na região de Autazes, o que chamou a atenção foi a quantidade de dragas em plena atividade.
____
Texto Blog do Xarope