JACAREACANGA 22.12.2021 - Algumas dezenas de professores indigenas Munduruku da região do Rio Kabitutu, onde habita o Cacique Geral  Arnaldo Kabá, se deslocaram nesta manhã para a sede do municipio para  receberem informações  a respeito  do Abono Salarial para compartilharem e ainda protestarem contra a gestão da Secretaria que não está desenvolvendo seu trabalho à contento e que não atinge a expectativa do Grupo Tribal.

Sobre o Abono um professor disse que a manifestação pacifica pode até concorrer para professores das aldeias jurisdicionadas proximo da sede do municipio e somam-se mais de 20 Aldeias  circunvizinhas se deslocarem para a cidade e engrossar o movimento, disse a liderança que não querem  se envolver em tumultos e sim de forma racional desejam que os compromissos assumidos pelo Prefeito e Secretario de Educação recebam fiel cumprimento. Com referencia ao Abono Salarial há reclames  que somente Jacareacanga não concedeu  o abono e todos os outros municipios da região fizeram  esse pagamento.

Foi lembrado que o movimento não é politico por isso não desejavam o envolvimento de nehum politico em suas reivindicações para não perderem a finalidade do protesto. Ocorreu reclames atraves de palavras de ordem e textos em cartazes que pediam a saída do Secretário Danilo e toda sua equipe de trabalho, e recomendaram ao Prefeito a nomeação urgente de uma pessoa que tenha compromisso com a educação e que não haja interferencia no  trabalho da Gestão da Educação pois as vezes não se sabe quem está mandando.  Tambem pediram respeito à Coordenação de Educação Indigena alegando que não tinha autonomia e sim muita intromissão. Alegaram que necessitam do pagamento concernente a regência de classe com efeito retroativo.

Reclamam tambem os membros do movimento que se  amontoaram em frente ao prédio da Secretaria de Educação sobre a necessidade do pagamento de interiorização alem de aumento salarial dizendo que acreditaram nas promessas do Prefeito Valdo em campanha e o que se vê é  nítidamente a  desvalorização da classe de professores contrariando as promessas de campanha do prefeito, por isso sentem-se enganados pelo gestor municipal.