JACAREACANGA (13.01.2022) -  O vocábulo barbeiragem  consta como significado no Aurélio como a Ação de conduzir inabilmente um veículo, porém se estivermos falando sobre Gestão do Poder  Executivo, remete ao significado de  "Ação de conduzir  inabilmente as ações da Gestão administrativas da Prefeitura", e na certa as razões para essa interpretação serão justificadas a seguir em se tratando da Prefeitura Municipal de Jacareacanga: 

Com o final do exercicio financeiro em dezembro de 2021 os profissionais de educação começaram a cobrar o Abono Salarial  que deveria vir mais nutrido devido a falta  de aulas presencias  considerando a pandemia que se alastrou pelo Brasil e Jacareacanga no contexto geral foi atingida,  tornando-se evidente que sem as aulas presenciais diminuiriam os valores de custeios  gerando em consequencia uma economicidade o que fatalmente aumentaria o bolo do Abono para rateio. Ledo engano, ao saberem atraves de um documento firmado pelo Contador da Prefeitura e Assessoria Juridica que o percentual investido na promoção de educação municipal teria até ultrapassado o percentual devido, não havendo lastro nem amparo legal bem como sobra de recursos orçamentario/financeiro para pagamento à titulo de abono Salarial, constando em um relatorio assinado pelo Contador Claudine da Mota, encaminhado ao Conselho do Fundeb e Sintepp  que ao atingir a meta do percentual alçado de  71,48% não caberia razão alguma para pagamento  do abono. Tal situação gerou descontentamento entre os profissionais de educação provocando em consequencia alem de reclames inflamados em vias públicas e aldeamentos, protestos por varios educadores pertencentes a uma organização dos professores indigenas em frente à Secretaria Municipal de Educação.


Muito provavelmente repensando melhor o desconfiado calote que estariam dando nos profissionais da educação ou por força de uma postagem anterior a esta, neste Blog  mostrando o valor de mais de  50 milhões de reais que a Prefeitura Municipal de Apui no vizinho estado do Amazonas estaria contemplando aos seus profissionais vinculados na Educação, tomei conhecimento que pessoas ligadas ao Conselho e Sintepp estariam reunidas  para discutirem o assunto. Confirmo que atraves de comunicação telefonica uma pessoa se intitulando assessor da Prefeitura afirmou que o Abono será pago!

Pasmem! é gritante o amadorismo impregnado na PMJ. De inicio  dedicam informação que com o devido zelo e minucioso levantamento feito os gastos na educação atingiram o percentural de aplicação e que não havia restos a destinar ao rateio e depois de alguns dias,  pressionados por manifestação, ameaça de  levantamento paralelo dos investimentos no municipio pelo Conselho do Fundeb, e ainda da  divulgação atraves do RP de suspeição  de sovinice ou desvio de finalidade dos recursos,  eis que se sobressai neste final de tarde de forma informal atraves de um funcionario que mostra  a "generosidade" do prefeito ou quem sabe mesmo,  o produto que o gato comeu e vomitou.

Como é que o contador irá se contradizer ou desdizer o que disse, firmou e rubricou? e como tambem ira se justificar e reagir a soberba equipe juridica da Prefeitura? que estabeleceu base legal no levantamento de sua Senhoria o Contador Claudine da Mota?

Seria bom se esse pagamento for realmente efetivado e nem sei se irá, ja que  as decisões institucionais de Sua Excelencia  são assumidas, publicadas, retroagidas, republicadas e assim segue o enterro. Oxalá que não haja a cata de moedas para se fazer o pagamento que cabe aos trabalhadores da educação....e o salário, Ó

Melhor mesmo é não acreditar que os servidores da Educação serão pagos... pois decisões na PMJ é igual couro de... joelho!


Desabafo de um professor indigena repassado no inicio da noite. Em sua Aldeia chega a noticia que o Abono será pago... vejam a mensagem:

[19:48, 13/01/2022] xxxxx / Indigena: Aí tem coisa escondido
[19:56, 13/01/2022] xxxxx/ Indigena: Um assessor disse que o prefeito resolveu pagar abono salarial e isso?
[20:57, 13/01/2022] xxxxxx/ Indigena: Nas aldeias maioria dos professores trabalharam aulas presenciais, mas não tiveram regência de classe, muitos professores ficaram sem receber interiorização, merenda escolar não chegou nas aldeias a última remessa, materiais de limpeza não foram suficientes e ainda eles dizem que não sobrou dinheiro, esquisito né?