Responsável pelo procedimento, homem foi indiciado por exercício ilegal da profissão e deve responder por homicídio perante a justiça.

Um idoso de 60 anos morreu durante um exame de endoscopia em uma clínica particular de Marabá, na manhã de terça-feira (25). O suposto médico, responsável pelo procedimento, foi preso em flagrante. Ele já era investigado pela Polícia Civil do Pará por exercício irregular da profissão. De acordo com a PC, o acusado teria falsificado um documento que provava a conclusão dele em outras fases do curso de Medicina.

Segundo o delegado que acompanha o caso, Vinicius Cardoso, diretor da Seccional de Marabá, policiais foram até a clínica do médico para dar seguimento na investigação, mas se depararam com a morte do idoso. "Fomos colher depoimentos e receituários, que pudessem ser usados como provas e nos deparamos com a morte de um homem que foi até a clínica fazer um simples exame de endoscopia. Imediatamente, solicitamos perícia de local de crime e prendemos o suposto médico em flagrante", informou a autoridade policial.

O suposto médico foi preso em flagrante e, segundo a polícia, vai responder pelos crimes de homicídio, falsidade ideológica, e por exercício irregular da Medicina. A reportagem conversou com os advogados Diego Freires e Magdenberg Teixeira que defendem Leandro Augusto Alves Oliveira, que informou "afirma que ainda não teve acesso a integralidade dos autos porém após ter acesso a todas as peças do Inquérito Policial o que deve ocorrer até a audiência de custódia e que vai tomar ciência de toda a matéria e acusação que seu cliente está respondendo junto a autoridade policial. Desde já o seu cliente está à disposição da justiça e vai provar durante a instrução processual que ele é sim médico e não exercia de forma irregular a profissão." 

Fonte: O Liberal
Reproduzido do Portal Giro