Uma família de ufólogos contou em entrevista para a Revista UFO sobre o encontro que tiveram com uma criatura fantástica, metade cobra, metade homem, dançando e rodopiando nas areias atrás de sua residência, junto ao rio, no município de Maués, no Amazonas.

Segundo Rogério Gomes, o encontro aconteceu em 2013, quando a filha dele, Romana, então com 17 anos de idade, conversava com uma amiga na cozinha de casa, enquanto a família dormia.  Ao olhar pela janela, ela teria avistado algo que pensou ser um lençol balançando sob a forte. Porém, ao olhar com mais atenção, percebeu ser um homem com pernas pouco definidas, vestindo uma roupa branca esvoaçante, dançando e dando rodopios com os braços para cima. Ela também percebeu algo que brilhava em seu peito.

O avistamento ocorreu pouco antes da meia-noite, ela resolveu chamar o pai para ver a criatura. Usando binóculos, ele notou que não era um ser humano. 

Emulando os filmes de terror, decidiram se aproximar e viram que o ser tinha em sua parte inferior o corpo parecido com a de uma cobra, e a superior tinha braços e uma cabeça em formato semelhante à de uma naja, de onde se projetava um rosto humano. Quando o ser percebeu a presença deles, cresceu bastante de altura, e se preparou para dar o bote. 

Rogério disse que nesse momento pediu a intervenção de seres extraterrestres que ele já havia tido oportunidade de ler e conhecer e, segundo a sua esposa, que olhava pela janela da casa, uma espécie de círculo se formou acima do ser, e o puxou, salvando pai e filha de um possível confronto.

Nesse mesmo instante, conforme seu relato, toda a incomum ventania que uivava cessou imediatamente, e as águas do rio, que estavam agitadas, ficaram calmas como a de um lago.