Imagem e video exgraídas da web

JACAREACANGA (14.02.2022) - Levas de familias estão deixando  a cidade de Jacareacanga devido a perda  da produção  de renda, dilacerado pela estagnação da principal economia regional, a garimpagem que foi atingida   abruptamente  pela onda  repressora do Organismo Ambiental Federal na Operação de combate ao garimpo ilegal e o desmatamento. O êxodo que ocorre desde o inicio das operações nos meses finais de 2.021 vem justificado  pela suspensão das  atividades desenvolvidas de apoio à garimpagem que escassearam devido  a anulação dos vinculos de trabalho de uma demanda reprimida que hoje em precarias situações financeiras procuram alternativas economicas em outras regiões abandonando residencias, parentes e entre esses a mão de obra que consideram inutil que são os idosos,  fechando portas de alguns comercios e para não dizer que não falei das flores o que prospera no local é a venda e o consumo de entorpecentes que só produz miséria,  vez que, enquanto ocorre repressão com força, ferro e fogo sobre a atividade garimpeira e essa propiciava alimento farto na mesa de familias, compostas por velhos, jovens e crianças, não ocorre a mesma repressão por quem de direito na atividade criminosa de favorecimento à distribuição e consumo de entropecentes crescente, que recruta mais jovens para o vício, a morte e à bandidagem no municipio.

De uma cidade efervescebnte, viva, atrativa desde 1.954 quando Nilçon Pinheiro descobriu ouro na calha do Rio das Tropas, até os dias de hoje Jacareacanga  que exalta em memória o Brigadeiro Veloso e Major Lameirão como heróis por seus feitos contra a posse de Juscelino Kubitschek na revolta de Jacareacanga e Aragarças, estando virando uma cidade fantasma, talvez haverá garimpeiros  sem saber o que fazer, sem saber de onde tirar o sustento para seus familiares, como zumbis, dirão que viram o fantasma de Haroldo veloso, que bravamente em um DC-3 virá em seus favores. É o fantasma tornando fantasmagórica  a cidade de Jacareacanga com seu despovoamento acentuado pois quem somente  produz renda e emprego para a municipalidade é a Prefeitura Municipal que administra o municipio apenas com recursos de ordem constitucional ja que nossos governantes mais robustos detentores do poder não prepararam Jacareacanga  com uma alternativa economica. Vejam bem a posição de nosso governador de estado Hélder Barbalho que nada comenta sobre o bombardeio literal que vive Jacareacanga há varios meses, nem vem fazer capa designando seu Governo Itinerante que só conhece Marabá e Santarém para fazer um diagnóstico atraves de consulta pública para em poucos anos se ainda existir o municipio, começar  a receber apoio de uma alternativa economica para a região. Como todo o mal pode ficar pior para completar o flagelo da municipalidade ainda tem o Censo 2022 que irá registrar de forma inequivoca uma população muito menor de que esta que foi fabricada e está sub-júdice e reduzindo a população reduzirá a receita do municipio concorrendo até para perdermos dois ou até mais Vereadores na Câmara Municipal e a recomposição do quadro de Secretários Municipais com extinção de cargos.

Antes de se dizer que o garimpeiro é um criminoso que comete desastre ambiental  à procura da mesa farta para sua familia é bom dizer que maior criminoso é quem não preparou uma  alternativa economica para  a população para substituir a atividade de garimpo. Criminoso é aquele que quer transformar um homem trabalhador como o garimpeiro em bandido. Criminoso são aqueles  que nos confortos de suas climatizadas salas em Brasilia se cosntituem donos da vida e morte  das desse povo sofrido, Criminosos são todos aqueles que na ciranda da vida detém o condão de colocar em sofrimento e desespero um pai de familia que não sabe o que será de sua prole no  amanhã.

Ninguem pode se manifestar contrário à força Ambiental e Nacional que executa a desmobilização das atividades garimpeiras e de desmatamentos, uma vez que os mesmos estão sob ordens e ordens são e serão sempre para serem cumpridas nos limites da razão e legalidade aos ditames constitucionais.