Portal OESTADONET - 17/02/2022

O comerciante Rilson Carneiro de Almeida, vulgo “Sonson", foi condenado nesta quinta-feira (17) a 35 anos e dez meses de prisão.

 

A decisão é do juiz Alexandre Rizzi, titular da 1ª Vara Criminal de Santarém. Sonson foi denunciado pelo Ministério Público por crime de estupro contra duas vítimas, em dois períodos da vida delas.

 

Ele já tinha sido condenado por outro  processo de estupro de vulnerável pelo juízo da 2ª Vara Criminal de Santarém. Sonson cumpre prisão domiciliar por motivos de ter o estado de saúde agravado.

 

Rizzi negou ao réu o direito de recorrer em liberdade. “Não se descura que o acusado por anos se esquivou das responsabilidades criminais, somente tendo sido preso depois de operação policial para sua captura, demonstrando pouca ou nenhuma disposição para se submeter à aplicação da lei penal. A culpabilidade e modo de execução do crime, demonstram necessidade de manutenção da medida gravosa, sendo ainda contraditório conceder o direito de recorrer em liberdade a acusado que desde 2016 tinha contra si mandado de prisão em aberto e somente foi levado a julgamento após a sua prisão.”, escreveu.

 

‘Sonson’ é lojista bastante conhecido em Santarém, no oeste do Pará. Proprietário de lojas de importados, após ser condenado por estupro, fugiu para São Paulo, sendo preso no dia 7 de junho de 2021, pelo Núcleo de Investigação da Polícia Civil do Pará em uma ação conjunta com a Delegacia de Narcóticos de São Paulo. 

 

No dia 22 de julho do ano passado, 'Sonson" foi condenado a 15 anos de prisão por estupro de vulnerável pelo juiz Rômulo Nogueira de Brito, titular da 2ª Vara Criminal da Comarca de Santarém.

 

Antes de ser preso em São Paulo, o empresário passou por várias cidades, incluindo Manaus e Rio de Janeiro. Ele usava documentos falsos. 

 

Em 2016, ‘Sonson’ teve a prisão decretada pelo juiz Paulo Evangelista.