Jacareacanga (27.03.2022), A onda avassaladora de criticas à péssima gestão do Prefeito Valdo do Posto, devido  vicissitudes que estão ficando crônicas em sua Gestão e  no rol dos  insolúveis, considerando a estranha distância que adota o corpo fiscalizador  do Poder Legislativo e com isso alicerçar no âmago da Gestão apoio à escancarado  à malversação de recursos do Tesouro Municipal, e citam-se como exemplos o investimento da Prefeitura de recursos financeiros na abertura de uma estrada clandestina  em aglomerado humano integrado a espaço territorial do Estado do Amazonas, e que alguns nobres edis foram partícipes por omissão ou conivência, de um crime ambiental alem de outros totalmente contrários à legislação pertinente,  séries de denúncias  em Redes Sociais com industria de invencionices de viagens e o consequente  pagamento de diárias, consolidadas e pagas, mas não recebidas  por pessoas que sequer fazem parte do Poder Executivo, como registram comentarios, na postagem-denúncia atribuida no facebook ao VERITAS, e ainda denúncia de provável desvio de recursos  da Educação em construção de Escolas,  conforme documento encaminhado pelo Sintepp (Jacareacanga) ao Poder Legislativo, que pelo que se sabe sua Assessoria Juridica sepultou o mesmo, alegando estar a eivada e  desprovida de legalidade vez que a questão estaria na seara da subjetividade, Pasmem! Entre tantas outras denúncias de falcatruas nos certames licitatórios conforme é de amplo dominio público.

Desta vez, principalmente por pouca habilidade da Gestão da Pasta da Educação que tem em sua direção o contestado Professor Mauricio o qual sua primeira providencia na Secretaria  foi renovar o quadro  de servidores colocando em pontos-chaves pessoas de sua estreita confiança, e que poderiam contribuir para se construir curral eleitoral, principalmente devido  a superlotação perpetrada  com esse único fito. -Sr. Walter, tem salas de aulas no interior que contam com seis alunos e dois professores - Reporta-se indignado um servidor da propria Secretaria.

Propriamente sobre a Educação Municipal a queda de braço está intensa entre a Coordenação do Sintepp local, que reclama direitos adquiridos que versam sobre o PISO SALARIAL e a resistência que adota a Gestão, dando um pontapé nos educadores, ao resistir em não reconhecer o direito dos memos e seu cumprimento legal, cujo já foi cobrado  por parte do organismo sindical de proteção aos direitos do profissional da educação e devidamente reiterados para o fiel cumprimento da lei e a execução dos pagamentos devidos, retroagindo a 1º de Janeiro do presente exercicio. Diante do fato a Coordenação do Sintepp solicitou reuniões para as tratativas do pagamento ao Senhor Secretário  e que em seu habitual desapego às normas que regem a valorização do profissional educador, protela o encontro, e manda aviso por outros "corpos" e não de forma oficial, que se for pagar o fará somente aos educadores concursados  fazendo clara acepção de profissionais da educação em seu contestado trabalho.

O Sintepp faz recordar as promessas do  digno Secretário Maurício, atraves deste Site, que no inicio do ano letivo na JORNADA PEDAGÓGICA, garantiu por diversas vezes que  a valorização do profissional da educação seria uma constante na gestao atual, e  em nome do Prefeito Valdo, garantiu que o PISO seria regiamente pago em Fevereiro e com efeito retroativo a 1º de janeiro e agora recua de suas afirmações para entrar em jogo de corpo e de cena, que obrigará a Coordenação a recorrer a instancias superiores: -A Coordenação do SIntepp, garante que  esgotará todas as oportunidades para o dialogo, que para sí é mais importante, sem o qual recorrerá atraves de   medidas legais para proteger o direito do profissional da educação - Garantiu a Presidente.  

Destaca-se por fim, recordando da celeuma que envolveu o pagamento do Abono Salarial, que depois da Prefeitura apresentar um "minucioso levantamento contabil" de que "infelizmente" não haveria pagamento do abono ja que todos os recursos foram devidamente empregados pela pasta na promoção da Educação. Com isso  a panela de pressão entrou em ebulição e para não explodir de vez, acharam não sei de que forma, contrariando o "Levantamento Técnico"  que havia sim sobra de recursos e que o zeloso o Governo, honraria com o direito dos educadores, apostando na valorização desse pessoal.

Sobre o Piso; alerta-se: -Cuidado! pode o pontapé direcionado aos professores voltarem como um boomerague e acertarem àquele que recuou de seu compromisso e e no jargão popular regional, acertar quem mijou na rabichola.

Documentos encaminhados ao Prefeito e Secretaria de Educação, cobrando o cumprimento da Lei com os professores, até agora sem resposta oficial, a não ser "toques" e mensagens espiritas inventadas, tal qual em macumba. - Vade retro!!!!

Gente, com professor a gente briga até na porrada, mas brigar contra a Associação, Coordenação, Órgaos de proteção aos direitos dos professores é burrice. Se bem que burrice nessa gestão pouca é bobagem! 



CONTEMPLE AMIGO LEITOR DO SITE COMO OS PROFESSORES DAS TERRAS INDIGENAS SÃO  PISADOS PELA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E EM AMPLA RESPONSABILIDADE PELO PREFEITO VALDO,  COM MAIS ESSE DESCASO PROVENIENTE DE INFORMAÇÕES QUE SE ORIGINAM DOS PROFESSORES  DAS ALDEIAS  INDIGENAS 

TRANSCRITO INTEGRALMENTE DE UMA POSTAGEM NO ZAP ENCAMINHADA AO DOMINIO DO RASTILHO DE PÓLVORA
A vários dias os professores esperam a chegada do combustível fornecido pelo barco imagem mostrada, a perto de terminar o mês de março só de espera para subir destino a local de seu trabalho, vários professores ficaram preocupados,pois o rancho que compraram que era pra levar na aldeia onde vão trabalhar já estão acabando, e não temos mais dinheiro para comprar diz uma professora da aldeia, e melhor esperar sair o pagamento diz ela, se o pagamento não sair como vamos fazer para comprar rancho.