, , 

Paulo Henrique Moreira Farinha, o suposto golpista. Foto: Acervo-Pessoal

Em setembro de 2021, uma empresária itaitubense, que não teve o nome revelado, acabou caindo no golpe do PIX, no qual perdeu o valor de R$ 40 mil reais. O acusado seria um golpista do estado de Goiás, que interceptou a conversa da vítima com uma amiga, para quem a empresária faria o favor de depositar um valor em dinheiro.

Segundo informações, no dia 8 de setembro de 2021, por volta de 14h, uma mulher, que não teve o nome revelado, entrou em contato com a empresária e lhe entregou o valor de R$ 50 mil em espécie, para que a mesma lhe fizesse um favor e depositasse a quantia na conta do seu irmão. O depósito do valor foi realizado de forma correta na conta passada pela dona do dinheiro.

O valor depositado seria referente a venda de um terreno localizado na cidade de Itaituba, sudoeste do Pará, o qual a mulher que pediu o favor teria vendido por R$ 90 mil. Depois da realização desse primeiro favor, a mulher disse que ia entregar à empresária o valor em espécie de R$ 40 mil, para que a mesma fizesse mais um depósito.

Após esse combinado entre ambas as partes, uma pessoa conseguiu interceptar a conversa usando o número (93) 99178-1295, mas com a mesma foto de perfil da outra mulher e se passando por ela, dizendo que havia trocado de número. A pessoa entrou em contato com a empresária pedindo que a mesma adiantasse a transferência de R$ 40 mil por PIX, o que a vítima acabou fazendo, achando que estaria fazendo um favor e diante da promessa que depois receberia o valor em mãos da outra mulher.

Por meio de comprovante, a polícia comprovou a transferência que a vítima fez para a conta bancária repassada pelo golpista. Apenas depois, a empresária percebeu que havia caído em um golpe, e registrou o Boletim de Ocorrência (BO). O número utilizado pelo golpista, além desta ocorrência em questão, também entrou em contato com vários números de pessoas desconhecidas do Estado do Pará, com a finalidade de práticas criminosas, provavelmente voltadas para o Estelionato.

Através de investigações, um homem chamado Paulo Henrique Moreira Farinha, da cidade de Anápolis, no estado de Goiás, foi identificado como o proprietário da conta na qual caiu o valor depositado pela empresária. Em depoimento, Paulo Henrique confirma que o dinheiro realmente caiu em sua conta, mas que ele não sabia que a quantia era oriunda de crime.

Paulo Henrique afirma que, por estar de casamento marcado, achou que o dinheiro era um presente de Deus e acabou gastando o valor para pagar dívidas pessoais e com seu próprio casamento. O suspeito foi ouvido em Goiânia (GO), e como não teve prisão em flagrante, Paulo deve ser indiciado pelo crime de Estelionato.

____

Com informações Portal Giro