Imagens  da matéria, veiculadas na Internet

JACAREACANGA - Pa. (24.04.2022) - O Estado Democrático de Direito preconiza, garantido pela Carta Magna da nação promulgada em 1.988, que os pilares dessa sustentação são representados  pelos poderes constituídos que são o Executivo o Legislativo e o Judiciário que devem ser harmônicos no entanto  independentes consolidando uma importância  destacada para o desenvolvimento do país, cabendo ao Poder Executivo e neste caso nos municípios a Prefeitura  ter a função de executar as leis e a Gestão Municipal.

Como supramencionado, os Poderes devem ser harmônicos porém independentes e não como atualmente acontece no município de Jacareacanga onde é sabido  de domínio público que os Poderes Executivo e Legislativo são almas geminadas e que assustam a população devido co-existir entre ambos uma incrível cumplicidade que traz enorme prejuízo ao povo, como malversação de recursos do Tesouro Municipal na Prefeitura devido aos tão propalados esquemas de favorecimentos   que visam beneficiar empresas, amigos,  e relações de compadrios para se efetivar o fiel cumprimento de objetivos escusos, implodindo a moral e os bons costumes além do zelo pelo erário público. Tantas são as denúncias e que nunca se viu o Poder Legislativo através de seus membros, os Vereadores debruçados fiscalizando em defesa da população  a veracidade dessas denúncias, mostrando de forma inequívoca a relação espúria que os dois poderes mantém desavergonhadamente.

Área que Prefeito Valdo distribuiu entre sem-tetos, retomou sem justificativa, passando rodo e tratorando as edificações de delimitação e marcos dos usuários - Verdadeiro descaso!

Tantos são os comentários e difundidos indícios de desvios de recursos para alimentar o favorecimento, que ocorreu denúncia formal feita pelo Sintepp-JAC  diretamente ao  mais próximo CONTROLE EXTERNO (FISCALIZAÇÃO)  da Prefeitura  que é a Câmara de Vereadores,  contra tais fartos indícios de rapinagem no emprego e uso de recursos para o funcionamento pleno da Educação Municipal  e que o Corpo Fiscalizador ou seja os Vereadores nunca apuraram ou justificaram a razão para não  fazê-lo. Com tanto descaso eis que surge inundando o Facebook  uma página virtual denominada VERITAS, que apresenta quase que diariamente farto material com cópias fiéis de documentos da Prefeitura,  que nutrem a especulação de  vícios que estão entrando no "rol dos insolúveis" e que não incomoda o Corpo Fiscalizador constituído dos 11 Vereadores impolutos e inquestionáveis que cochilam cabisbaixos e isso atenta contra os sãos princípios da moral e da razão. É impossível os Vereadores não tomarem conhecimento das denúncias diárias que são de domínio público veiculadas e comentadas por internautas em redes sociais, já que vivem no planeta Terra e a blogosfera e a rede mundial de computadores  é ricamente inundada também com todo tipo de informação doméstica da região. Seria fartamente compreendido pala população, que para alegar ignorância em não saber dos buchichos, comentários de falcatruas prováveis no Poder Executivo, os nobres Vereadores não tivessem celular, devessem morar em Marte e não andar nas ruas em Jacareacanga e ainda não ficarem antenados  sobre conversas prolongadas, incomodas, exasperadas, mas com fundo de verdades ditas por sua nobreza  meu amigo Macaxeira, e Sua Pobreza o Jornalista Marronzista Jacinto, que está sendo dependurado pelos bagos sem razão alguma, posando apenas de Bode Expiatório que não sabe balir.

Além do arsenal dirigido "de vera" pelo VERITAS, que deveria ser considerado se houvesse respeito do Poder Legislativo pelo povo, em se apurar tecnicamente o conteúdo, com verificação através de uma auditoria ou CPI das prováveis irregularidades denunciadas, inclusive com informações de endereços fantasmas de empresas visagens que não aparecem; a dependência indecente e inescrupulosa do Poder Legislativo que mostra-se à serviço dos pecados do  Executivo. Baseando-se  e isso de conhecimento público,  comprova-se em uma declaração insana, considerado  pela TURMA ITAITUBA assessores virtuais do Prefeito VALDO; em que o Vereador Neumar Xavier revelando cansaço e desgaste popular com intromissão na Gestão convida os "atores intrometidos" a SAIR FORA DO PREFEITO, pois ele precisaria trabalhar!

Qual a independência que o Poder Legislativo tem para trabalhar já que sua função primordial é fiscalizar as ações do Prefeito, quando "pari passu" com Sua Excelência o Gestor do Município, faz  uma estrada vicinal  de quase 100 km em pleno estado do Amazonas?  rasgando a Floresta Amazônica ao meio, sem licenciamento ambiental? totalmente viciado os procedimentos administrativos, sem certames licitatórios? eivado de irregularidades,?

Na inauguração da estrada, com festa e em plena formalidade de se cortar a fita de inauguração por Sua Excelência o Presidente do Poder Legislativo que representava o Prefeito Municipal no ato...

...confirma-se a conivência, e cumplicidade, a relação espúria em uma situação que começou errada, encontra-se mais errada ainda e que a mão pesada da justiça irá por certo colocar nos trilhos nem que seja  através de  alegrias de suplentes, penso eu!

Todo esse rol de irregularidades, malversação de recursos públicos, e conivência de membros do Poder Legislativo resta garantida a suspeita que através do Prefeito ocorreu malversação de recursos e merece ser punido com os rigores da Lei, e  aos míopes do Poder Legislativo deverão  se dar oportunidade sem nehnhenhém responder por ações delituosas como conivência e omissões,   como exemplo cita-se, nunca ter  tramitado nas comissões  ou plenário da Casa algo no mínimo que pudesse ser pelo menos para nortear algum pensamento sobre o intento legal de se construir ou abrir uma quilométrica estrada e em outro estado da federação (Maués está se mexendo para prevenir problemas para aquele município Amazonense), cumulado com essa ação de pronto ilegal, os vereadores e todos eles, deverão responder na forma da lei por PREVARICAÇÃO(*) cumulado com outras transgressões por terem conhecimento diário de denúncias e ao menos não protegerem o povo do qual legalmente representam diante de tantas insinuadas falcatruas no Poder Executivo. O que fazem mesmo os Vereadores se não fiscalizam as contas e ações do Prefeito? Tem que se fiscalizar  não somente a aplicação dos recursos, os certames licitatórios, mas também a destinação dos materiais e serviços contratados e entregues que será visto que uma parte não são entregues.

Realmente a proteção ao Povo por seus representantes legais, suas Excelências os Vereadores,  está muito distante de ser efetivada, e quase sempre o munícipe não tem a proteção daquele que ajudou a eleger para sustentar de forma sólida o Estado Democrático de Direito e que estão mesmo por omissão ou conivência é concorrendo para sua ruína.  veja a declaração abaixo, atribuída ao nobre e abandonado pelos Vereadores "Manihot Esculenta"  que ressente-se da palavra boomerangue do Prefeito que vai e volta


Olha aí gente, quando acaba dizem que o Macaxeira fala demais, -O Macaxeira fala muito... fala muito... Agora olha a pouca vergonha... a pouca vergonha que a Prefeitura está fazendo. Pra ver como é a situação do que acontece em Jacareacanga. Em Jacareacanga a humilhação é grande demais. Tem que ser humilhado mesmo. É assim que acontece as coisas. Poxa o cara fala... entregou os terrenos aqui pras pessoas aqui porra, que estão querendo fazer as casas aqui e agora vem com as maquinas e derruba tudo. Isso aqui é uma pouca vergonha rapá! É uma falta de respeito cá população, aí fica alegando que os pessoal daqui tava na outra invasão. Que falta de vergonha é essa? Que falta de consideração com a população de Jacareacanga?mas é assim mesmo. Olha aí gente a gente tem que debater isso aí é na urna

O POVO É JOGUETE NAS MÃOS DE  AVENTUREIROS INCOMPETENTES 

Observem senhores e senhoras leitoras do Site, como o povo tal qual boi no matadouro é jogado de um lado para o outro, sendo escoiceado por quem deveria dar exemplo de transparência e apego alem de conhecimento em seus trabalhos.
  1. O reclame do internauta é que deram-lhe um terreno e depois tomaram, denotando, falta de conhecimento, burrice, pouco apego à sua responsabilidade de quem deu e pelo andar da carruagem identifica-se como  Prefeito Valdo, até aí não me surpreende  nada.
  2. Em declaração em áudio que ainda estamos tentando apensar nesta matéria o midiático Diretor de Terras Manoel Júnior, tão festejado por varias pessoas por ter facilitado a doação dos lotes, conclama os posseiros  para se acalmarem que começará a urbanizar a área, plotando as ruas e transversais e que terão até domingo (?) para concluir a entrega dos terrenos oficialmente, porém a PMJ terá que também encascalhar as vias projetadas, e não adianta se preocuparem pois todos ficarão se não no local exato que escolheram, no sentido próximo.
  3. Alguém para tentar defender o Prefeito passa recibo que o mesmo não tem ideia do que é administrar a coisa pública, essa pessoa só pode ser  oposição ao Prefeito ao insinuar que o prefeito  não tinha ideia (autonomia) do que estaria fazendo e o MP teve que intervir (Acertadamente o MP colocou ordem no pardieiro)
  4. Segundo ponto é o Diretor de Terras do Municipio auto proclamado "O CARA",  vendendo sua alma para fazer capital político, ja que pensa em se eleger futuramente Vereador, fez o cadastramento de pessoas garantindo-lhes os lotes. Esse intento revelado pelo Diretor de Terras confronta-se com DECISÃO do MP.-Como pode isso Arnaldo?
  5. Em hipótese alguma crê-se  que o Jurídico da Prefeitura não esteja adstrito ao Prefeito, estranho é ver que  Sua Excelência,  demonstra total estranheza ao seu cargo ao ponto de contaminar com falta de discernimento seu diretor de terras, que também não observou que o Patrimonio Público não se pode administrar ao bel-prazer do mandatário. Sinceramente é muita barbeiragem para uma Gestão só. 
  6. O(a) Procurador (a) da Prefeitura ou Assessoria Jurídica  tem que fazer o Prefeito tomar assento e orientar-lhe que Patrimonio Público, não é de sua propriedade, e não sendo assim, para se destinar áreas de terras para qualquer empreendimento ou finalidade deve previamente  elaborar um projeto técnico e bem fundamentado, depois fazer o meio de campo politico através de um Projeto de Lei para tramitar nas comissões do Poder Legislativo com a finalidade de ser levado ao plenário para aprovo (Não é difícil o Prefeito aprovar nada na Casa)



      Não teve um...unzinho Vereador que foi defender esse povo, sobre os lotes que o Prefeito distribuiu, doando e depois por determinação do Ministério Público o fez retroceder,  pautado na legalidade, oportunidade em que o destacado  "Manihot Esculenta"  botou nas redes sociais a boca no trombone e deve anunciar  mais coisas através de impropérios na radio pião que hoje se difunde e propaga por intermédio das  ondas longas e  prolongadas  das redes sociais.

      Chegou à redação do Site  Rastilho de Pólvora uma imagem que ilustra guardando as devidas proporções do exagero,  imagem e tal que ilustra de forma trágica, ruim se fosse cômica, a relação de compadrio Prefeito e Vereadores

      (*)

      Prevaricação é um crime funcional, praticado por funcionário público contra a Administração Pública. A prevaricação consiste em retardar, deixar de praticar ou praticar indevidamente ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal. Prevendo uma penalidade de detenção, de três meses a 1 anos, e multa

      Até a proxima!