Jovem foi picada por uma cobra jararaca e levada para um helicóptero, com destino ao polo-base Surucucu. Caminhada dos irmãos poderia durar dois dias sem o auxílio da aeronave

Por Lucas Luckezie
Em 01/04/2022 às 09:30
 
Eles pertencem à comunidade Yaritobi, situada na Terra Indígena Yanomami (Foto: Divulgação)

Um jovem indígena de 26 anos precisou de duas horas para carregar nas costas a irmã grávida, de 20 anos, que foi picada por uma cobra jararaca, até o helicóptero de resgate do polo-base de saúde Surucucu. Eles pertencem à comunidade Yaritobi, situada na Terra Indígena Yanomami, em Roraima.

A história dos irmãos, cuja comunidade possui cerca de 600 habitantes, foi revelada pelo presidente do Condisi-YY (Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kuana), Júnior Hekurari, que explicou que o pouso do helicóptero foi feito no local mais próximo de onde eles vivem. O voo até o polo-base dura em torno de 12 minutos.

Sem o auxílio da aeronave, a caminhada dos irmãos poderia durar dois dias, porque a região onde vivem é bastante montanhosa. “

Como não tem comunicação nas comunidades, boa parte das vezes eles vão até o posto ou vão a algum lugar mais próximo que tenha comunicação pra informar que precisam de algum resgate. Dependendo do local, eles abrem uma clareira para helicóptero pousar    - explicou o presidente do Condisi-YY.

Segundo Hekurari, a mulher chegou à aeronave consciente, mas sem força. No mesmo instante que chegou à equipe, ela foi medicada com soro antiofídico, utilizado para neutralizar o veneno de serpentes. A indígena, conforme ele, está em observação no polo-base desde quarta-feira (30), quando foi feito o resgate.