TIROTEIO

Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) deram ordem de parada ao individuo, que desobedeceu e tentou fugir efetuando disparos contra as autoridades, que revidou. O suspeito chegou a ser socorrido em uma UPA, mas não resistiu aos ferimentos.

 segunda-feira, 18/04/2022, 15:56 - Atualizado em 18/04/2022, 15:56 -  Autor: Com informações Voz do Xingu

 Cerca de 22 tabletes de entorpecentes foram apreendidos com os suspeitos. | Divulgação/ PRF

Na noite deste sábado (16), a Policia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu cerca de 23,5 kg de pasta base de cocaína e uma arma de fogo, durante fiscalização na BR-230, no município de Altamira, no sudoeste do Pará.

Segundo a PRF, os agentes realizaram uma abordagem de rotina a um veiculo modelo FIAT Pálio, com placa da cidade de Porto Velho (RO). Quando o condutor fugiu arremessando tabletes de drogas pela janela do carro. Neste momento, o veiculo foi perseguido por cerca de 35 km, quando o motorista parou e correu para um matagal.

Os agentes federais continuaram as buscas pela área, quando avistaram um outro homem em uma motocicleta também com emplacamento de Porto Velho (RO). Nesse momento foi dada ordem de parada ao individuo, que desobedeceu e tentou fugir armado para uma área de mata efetuando disparos contra as autoridades, que revidou.

O suspeito foi socorrido em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu aos ferimentos. Após realização das diligencias, a PRF identificou que o condutor da motocicleta realizava funções de "batedor" para transportadores de drogas, atuando em conjunto ao condutor do veiculo Fiat Pálio que levava os entorpecentes apreendido.

Já na manhã seguinte (17), a PRF realizaram novas buscas no local de mata. Na ocasião foram encontradas; 22 tabletes de entorpecentes de 1 kg cada. Além da droga, as autoridades também apreendeu 1 revolver calibre 38 com quatro munições, 1 carro, 1 motocicleta, 3 celulares, 2 rádios comunicadores. Segundo a Policia, a apreensão gerou um prejuízo de mais de R$ 2.820.000,000 (dois milhões e oitocentos e vinte mil reais) para o crime organizado.