2

Leda, Hanna e Ellen (acima E), Altair Santos (D) e Dejacir Ferreira (abaixo E). Foto: Reprodução


O principal suspeito de triplo homicídio ocorrido em 2014 em Itaituba, Dejacir Ferreira, deverá sentar no banco dos réus na próxima segunda-feira 9 de maio de 2022a. Dejacir é apontado como o autor das mortes da advogada Leda Marques, a filha Hanna Estela e a funcionária da família, Ellen Taynara Siqueira, assassinadas a facadas no dia 22 de fevereiro de 2014. Os corpos foram encontrados por volta das 20h.

Vítimas: Leda Marta, Hanna Stella e Ellen Taynara. Foto: Reprodução

O processo de investigação apontou como principais suspeitos de envolvimento direto o ex-marido da advogada, Altair dos Santos e o ex-presidiário Dejacir Ferreira, o primeiro como mandante, o segundo como executor. Pela brutalidade do triplo-assassinato, a sociedade aguardou, por anos, o tramitar do processo. Altair chegou a ficar preso por cinco anos, e atualmente está em liberdade, por benefício concedido pelo Supremo Tribunal Federal.

Dejacir foi preso mais de um ano depois do crime, na cidade de Estrela do Norte, Goiás, depois de já ter cometido outro crime de homicídio. Mantido sob custódia, o acusado deverá ser levado a julgamento em uma temporada do Tribunal do Júri, em Itaituba, distrito da culpa.

Para tanto, a Justiça já solicitou forte aparato policial, para garantir a segurança durante o evento, na verdade, um dos mais esperados dos últimos oito anos, não só para as famílias da advogada Leda Marta, da pequena Hanna Estela e de Taynara Siqueira, mas também pela classe dos advogados do Pará.

Na sala dos procuradores da Prefeitura, na manhã de quinta-feira (05), aconteceu uma breve reunião entre os advogados, abordando o julgamento, o que aparenta ser o desfecho de anos de angústia e ansiedade, em vista da atrocidade cometida contra três inocentes.

O advogado Jairo Araújo diz que esse é um momento em que, mais uma vez, se cria um sentimento de esperança de que a Justiça seja feita.

Fonte: Portal Mauro Torres